Descubra a dose segura de consumo de álcool na gestação

Descubra a dose segura de consumo de álcool na gestação

Você tem dúvidas sobre o consumo de álcool na gestação? Essa é mais uma das perguntas frequentes em meu consultório.

Eu tenho certeza que você lê muita informação em revistas, pela própria internet e até suas amigas falam da experiência delas. Então, fica a dúvida: quantas taças de vinho ou copos de cerveja?

A resposta é simples: ZERO!

Como nutricionista materno-infantil, tenho a responsabilidade de difundir essa informação, inclusive com todo o respaldo de estudos sérios conduzidos por respeitadas instituições de ensino.

O problema do álcool na gestação

O período gestacional é o estágio mais crítico da vida de qualquer pessoa. Em 2015, um estudo publicado na revista americana Pediatrics – leia aqui em inglês – trouxe o alerta para que nenhuma mulher consuma álcool na gestação.

O fígado de qualquer pessoa não está exatamente preparado para processar o álcool. Então, não importa a frequência ou quantidade: o bebê vai ser afetado, sim, via cordão umbilical.

E pior: uma hora após o consumo de bebida alcoólica, o feto terá um efeito de teor alcoólico até oito vezes maior que a sua mãe. Sim, se a gestante ingere uma taça de vinho, é como se o feto sentisse oito taças de vinho.

Leia também: Consumo de probióticos na gravidez traz benefícios para mãe e filho.

Tentantes também devem repensar

O período pré-gestacional também deve ser encarado com seriedade pelos casais que planejam ter filhos. Como nutricionista, acredito que não deveriam consumir álcool, além de adequar a própria alimentação.

E digo mais: a mulher jamais deve conceber alcoolizada. Caso não saiba quando deseja engravidar, recomendo que deixe de lado o álcool – mesmo em situações sociais – na segunda semana do ciclo, ou seja, no período fértil.

Quando a mulher concebe seu filho sob efeito do álcool, o desenvolvimento da criança é prejudicado a partir do momento em que é formada.

Portanto, não recomendo o consumo de álcool por gestantes, lactantes e nem mesmo tentantes.

Esse assunto é muito sério. Compartilhe com as pessoas que você sabe que vão se beneficiar dessa informação. Formar uma nova geração cheia de saúde é dever de todos nós.

Convido você a continuar seguindo meu blog. Também aproveito para seguir meu Instagram e minha página no Facebook para acompanhar outros conteúdos como este.

Se quiser saber mais sobre o assunto, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.

Com amor.

Andreia Friques.

Fechar Menu