Alimentação para crianças hiperativas: como acertar?

Alimentação para crianças hiperativas: como acertar?

A alimentação para crianças hiperativas deve ser ainda mais elaborada para que seja uma aliada do organismo.

Escolher os alimentos corretos para as crianças conforme sua fase de crescimento tem total influência no aprendizado, como já mencionei neste post. Em crianças diagnosticadas com hiperatividade, oferecer uma dieta adequada às suas necessidades é ainda mais importante.

O cérebro tira os nutrientes para seu bom funcionamento dos alimentos consumidos. Vou explicar por que a alimentação para crianças hiperativas deve ser bastante específica para ajudá-la a controlar o transtorno.

O que é hiperatividade infantil?

Exalar energia é saudável para qualquer criança. No entanto, quando a agitação prejudica o rendimento escolar e o relacionamento com outras pessoas, vale a pena procurar a opinião de um especialista. Neste caso, seu filho pode ter o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade – TDAH.

Este é um dos problemas mais frequentes diagnosticados em crianças de idade escolar. O TDAH normalmente tem origens genéticas por ser uma afecção neurológica e atinge cerca de 5% das crianças.

A hiperatividade é caracterizada pelo excesso de atividade motora, com muita movimentação física que costuma vir aliada da fala acelerada. Esses problemas podem provocar distúrbios motores e interferir negativamente a sua capacidade de concentração.

Na prática, você nota muito desassossego e inquietação por parte da criança. Outra forte característica é a impulsividade sem controle.

Alimentação para crianças hiperativas mais saudáveis

O que a indústria alimentícia oferece para a alimentação infantil é pobre em nutrientes e repleta de estimulantes, o que piora a situação das crianças hiperativas. Isso porque o cérebro não recebe a nutrição necessária para seu bom funcionamento.

Quando a alimentação para crianças hiperativas é ajustada de acordo com as suas necessidades, as respostas do cérebro são bastante positivas. Afinal, o consumo de até 25% energia dessa região do corpo é retirada dos alimentos ingeridos. Tudo que a criança come tem impacto no desempenho cerebral, tornando mais lento ou mais ágil.

Ao ingerir carboidratos simples, o cérebro recebe uma montanha russa de glicose, que segue rapidamente para a corrente sanguínea mas é extinta na mesma velocidade pela insulina. Esse gasto de energia é inconciliável com os esforços para manter a estabilidade das atividades cerebrais.

Alimentos que controlam a hiperatividade

Confira alguns itens que não podem faltar na alimentação para crianças hiperativas:

Maçã – Carboidrato do tipo complexo, ou seja, que não é rapidamente digerido pelo organismo. Pode ser consumida à noite pois melhora a qualidade do sono.

Espinafre – Fonte completa de nutrientes, vitamina C e todas as vitaminas do complexo B. Vale a pena incluir nas receitas, caso o pequeno rejeite o vegetal in natura devido ao sabor mais amargo.

Frango e ovo – Os dois alimentos são ricos em proteínas, nutrientes responsáveis por evitar os picos de açúcar no sangue. Assim, a hiperatividade fica controlada. Como são comidas bem aceitas pelas crianças, pode prepará-las de diversas maneiras.

Peixes frios – Salmão e atum são ricos em Ômega 3, uma gordura boa que falta ao organismo das crianças hiperativas.

Frutas cítricas – Laranja, limão e kiwi fortalecem o sistema imunológico e produzem os hormônios anti-estresse.

Cereais integrais – Ideais para compor a nutrição em substituição aos carboidratos simples, como açúcares e farinhas processadas.

Recomendo que a alimentação para crianças hiperativas seja conduzida por um nutricionista com especialização em nutrição infantil. Ele vai compor uma dieta específica para o caso de cada criança.

Espero que meu post tenha resolvido suas dúvidas sobre o assunto.

Até a próxima!

Com amor.

Andreia Friques

Fechar Menu