Crianças vegetarianas: como fazer a introdução alimentar e conduzir a alimentação?

As dúvidas sobre crianças vegetarianas são bastante comuns.

Estamos muito mais acostumados com adultos vegetarianos que decidem por esse estilo alimentar. Assim, quando deparamos com crianças que não comem carne, a tendência é de ficarmos surpresos.

Existem duas situações em que a criança pode se tornar vegetariana. A primeira é por influência dos pais, que nunca alimentaram desde bebê com carne. A segunda é por decisão própria da criança, após alguma idade, em ser vegetariana.

Muitas famílias procuram saber como fazer a introdução alimentar do bebê vegetariano e, outras, como adaptar a alimentação da criança que não deseja mais comer carne.

Fazendo a introdução alimentar do bebê vegetariano

Não há problema algum em apresentar os alimentos ao bebê sem nenhuma opção de carne. Contudo, cabem algumas observações.

Assim como qualquer introdução alimentar, o bebê deve ser apresentado a todos os grupos de alimentos conforme falei neste artigo.

O prato pode ser subdividido em seis partes, onde deve conter:

  • Cereais, raizes, batatas e grãos;
  • Leguminosas;
  • Verduras.

Para aumentar o aporte de ômega-3 do bebê, é interessante colocar junto desses alimentos o azeite de oliva e a linhaça.

As minhas recomendações de utilizar temperos naturais e evitar o sal antes de 1 ano de idade continuam valendo para o bebê vegetariano.

Para esse bebê, especificamente, é importante oferecer uma fruta cítrica após o almocinho para melhorar a absorção do ferro dos alimentos.

Além disso, o bebê vegetariano também pode precisar de alguns suplementos, como a vitamina B12.

E se a criança parou de comer carne porque quis?

Quando a criança decide parar de comer carne, o papel da família é respeitar essa escolha e buscar orientação de um nutricionista materno-infantil.

Caso a alimentação dessa criança seja balanceada, não há problema parar de comer carne. Se alimentos como ovos e lácteos continuam fazendo parte da rotina alimentar, saiba que eles contém proteínas.

No entanto, para aqueles que não consomem essas opções, é preciso ficar atento às fontes vegetais de proteínas, ferro, cálcio, zinco, ômega 3 e vitamina D.

Assim como o bebê, essa criança também deve garantir um prato com todos os nutrientes e o consumo da fruta cítrica – ou o tempero com limão na comida – segue válido.

O importante é ficar atento ao desenvolvimento da criança e aos exames laboratoriais periódicos, que podem ser avaliados com o nutricionista e o pediatra.

Espero que este artigo seja explicativo sobre introdução alimentar do bebê vegetariano e como lidar com crianças vegetarianas.

Até a próxima!