A importância da família no desenvolvimento do bebê prematuro

A importância da família no desenvolvimento do bebê prematuro

O acompanhamento nos primeiros anos de vida da criança é essencial para a promoção da saúde, prevenção de doenças e identificação de possíveis atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor. Quando o bebê nasce prematuro, o cuidado se torna mais intenso.

A observação cuidadosa do bebê tem dado maior garantia de acesso a diagnósticos e estimulação precoce nos cuidados que algumas crianças especiais necessitam, principalmente aquelas que nascem prematuras.

Ambientes tensos estão associados a piores desenvolvimentos

Um estudo de uma Universidade em Israel revelou que o ambiente familiar é indispensável para reduzir riscos associados aos partos prematuros. Inclusive pode gerar efeitos positivos no desenvolvimento do bebê.

De acordo com a pesquisa, as crianças prematuras possuem mais riscos de apresentar baixa cognição na infância.

O estudo demonstrou que a qualidade dos cuidados prestados é essencial para um bom desenvolvimento da criança prematura, portanto, fatores ambientais como os cuidados dos pais e parentes, podem aumentar ou reduzir o risco.

A situação piora quando são expostas a ambientes com níveis altos de estresse emocional. Quando exposta a relações familiares tensas, provavelmente revelam mais tarde menores capacidades cognitivas e sociais.

Enquanto aquelas igualmente prematuras que viveram sob tranquilidade e menor tensão familiar, apresentam maiores competências cognitivas no futuro.

Problemas comuns relacionados aos bebês prematuros

A imaturidade gerada pelo parto prematuro pode gerar algumas complicações na saúde.

Intestinos, rins, coração, sistema imunológico e pulmões estão muito vulneráveis e necessitam de cuidados especiais de médicos. Por mais esse motivo, o apoio familiar é essencial para tranquilizar a mãe e auxiliar quando o bebê precisa ficar no berçário.

Como o bebê carece de força, muitas vezes não consegue respirar sozinho ou sugar o leite. Por esse motivo, tudo é feito com a ajuda de aparelhos, gerando mais angústia para a família que necessita se unir para passar por esse momento.

Muitos prematuros chegam a ficar três a quatro meses no berçário, saindo apenas quando completam 2kg.

Apoio psicológico

A mãe necessita de muito apoio após o nascimento do bebê prematuro. Muitas mulheres sentem-se responsáveis pelo fato do bebê ter nascido antes do tempo, consequentemente, duvidando da força de si mesma.

Ela imagina que o bebê possa ter nascido antes por algum motivo seu. Esse sentimento paralisa a mulher em relação aos cuidados com a criança, ou pode desencadear desequilíbrios como depressão.

Essencial para o momento é que mamães prematuras busquem alguém para apoio e conversa ou um terapeuta. Muitas mães acreditam que não podem demonstrar emoções como chorar, pois podem prejudicar a criança. Isso é um mito.

A mãe necessitam extravasar suas emoções e superá-las e o papel dos psicólogos e da família é mantê-la bem e confiante de que tem ajuda para superar esse momento.

Presença é essencial

A presença dos pais no berçário é essencial caso a criança tenha que ficar um tempo no hospital. Como a rotina hospitalar é estressante, o bebê sente esse espaço como ameaçador.

Ter a família por perto para tocar e transmitir carinho é essencial, para que o bebê aprenda as percepções de amor e cuidados.

Método Canguru

Uma maneira de manter o bebê próximo do conforto dos pais nesse momento é o método canguru. Portanto, aposte nessa ideia carinhosa.

Consiste em colocar o bebê próximo ao peito dos pais e envolvê-lo com um tecido. Isso possibilita que ele reconheça quem são seus responsáveis pelo toque, o cheiro e a voz.

Ajuda a mãe a iniciar seu processo da amamentação também, sentindo o bebê próximo do corpo.

 

Bebês prematuros são muito sensíveis e precisam de muitos cuidados. Então, seja portador desse carinho!

Fechar Menu