Você oferece guloseimas à crianças pequenas, sem a autorização dos responsáveis ?

Pois não deveria! Eu e meu marido sempre tivemos o propósito de deixar nossos filhos longe das guloseimas, principalmente até completarem 2 aninhos. Fizemos isso com Miguel quando eu ainda não era Nutricionista Materno Infantil e valeu muito a pena. Com meu caçula fizemos o mesmo. Além da questão da formação dos hábitos, no caso dele, tínhamos um motivo a mais: Davi tinha uma forte intolerância ao leite. Por já ter um irmão mais velho, frequentemente ia comigo em aniversários e eu sempre levei o lanchinho saudável deles nas festinhas. Para mim isso era e ainda é super natural. Até que um dia, quando ele tinha quase 2 anos, enquanto me distrai por alguns segundos, uma pessoa colocou um brigadeiro enorme na boquinha de Davi. Eu sei que ninguém faz isso por mal, é por ignorância, no sentido literal da palavra. Eu, educadamente, disse a ela que ele não podia consumir leite, que nunca havia comido um doce e retirei parte do brigadeiro, antes que ele engolisse tudo. Bem, aí vocês imaginam o resto da história… resumindo, passei aquela noite toda com Davi suando frio de cólicas e dor abdominal. Sempre que escrevo sobre a importância de manter os pequenos longe das guloseimas algumas pessoas se pronunciam como se isso fosse exagero, ou algum castigo à criança. Castigo? Como assim? Como alguém vai sentir falta de algo que ainda não provou? Se você mostrar um cupcake trufado a uma criança de 1 ano e meio que nunca provou o que é leite condensado, ela com certeza se interessará! Mas se você mostrar a ela um bolinho lindo, coloridinho, saudável, feito com frutas, ela muito provavelmente, se interessará da mesma maneira. Você não concorda com nada disso? Ainda não está convencido do quanto os Primeiros Mil Dias (da fecundação aos 2 anos) são CRUCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO? Você acha que um dedinho lambuzado de milk-shake não faz mal a ninguém? Ok, é um direito seu! Mas respeitar os que já acorda ram para essa realidade, É DEVER DE TODOS! Está pensando em oferecer algo a uma criança pequena? Pergunte primeiro aos seus responsáveis o que acham disso!   Com amor, Andreia Friques.  

Fechar Menu