ptenes

Blog

A ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR (AC) deve ser iniciada a partir de 6 meses de vida completos, para os que estão em Aleitamento Materno Exclusivo! (OMS)

Bebês que tomam fórmula infantil "podem" ter esse início adiantado para o início do sexto mês ( a partir de 5 meses de vida completos), DESDE QUE estejam maduros o suficiente para sustentarem o pescocinho quando colocados sentadinhos na cadeira!

Antigamente havia uma online casino "CULTURA" de início precoce de alimentos (antes de 5 meses completos) porém, há alguns anos sabemos que esse não é o melhor caminho! Ou seja, se o seu bebê ainda não está no sexto mês de vida, recomenda-se que receba Leite Materno ou, para os que não são amamentados, Fórmula Infantil!
A Alimentação Complementar NÃO DEVE SER INICIADA com suquinhos (mesmo o de laranja lima sem açúcar). Essa é mais uma "cultura" que está em desacordo com as recomendações atuais!

Andreia Friques

Sexta-feira postei sobre os malefícios do estresse da gestante sobre a saúde do bebê (quem não leu, volte no meu POST anterior), e prometi a vocês que hoje daria algumas dicas práticas para ajudá-las! Então, convidei a psicóloga Gina Strozzi, doutora no assunto, para escrever para vocês! Com a palavra Gina Strozzi: * PERDOE! Na gravidez ficamos sensíveis e choronas. Olhe isso pelo lado positivo. Se eventualmente seu coração endureceu com alguma pessoa ou situação, aproveite o transbordamento hormonal para amolecer e desprender as dores e rancores! Não guarde mágoas! Dialogue e deixe que as lágrimas desçam. Elas vão escorrer e levar tudo que não Deve ficar preso ai dentro pra te atrapalhar a receber seu bebê! * CONVERSE COM SEU BEBÊ: Aproveite para estreitar os laços com o baby: a sua voz será reconhecida devido a vibração no útero. O bebê te sente, te toca por dentro e te reconhece! Reconheça-o também! Chame-o pelo nome. Dê bom dia, converse com sua barriga e estreite essa relação que já começa ai dentro. Alerta: [ o stress é um estado de tensão psicológica, física e muscular. O útero é um músculo que se contrai, comprimindo, oprimindo e apertando o bebê]. Assim, em momentos de tensões. Respire, se acalme! Fale em voz mansa e dê a ele a oportunidade de respirar com tranquilidade e segurança! * Use o SEXO como distração e relaxamento! Muitas grávidas ao contrário do que se pensa, tem a libido aumentada na gestação. Isso é ótimo, pois estimula a proximidade, o carinho, o prazer e o relaxamento. Serve como alívio do stress e tensões do corpo, da alma e muitas vezes do relacionamento. Renova tudo! Obrigada Dra Gina Strozzi por contribuir com essas dicas valiosas para minhas seguidoras! Lembrem-se: Não nascemos mães! Esse é um processo que vai acontecendo nas nossas vidas! Não se culpe por nada! Ame seu bebê e diga isso o tempo todo a ele! Com amor, Andreia Friques images      

  2408899-4751-rec   Não há pesquisas que indiquem ligação entre o estresse normal e as frustrações da vida moderna (como uma briga com o chefe ou um péssimo dia no trânsito) a um risco maior de abortos espontâneo. Por outro lado, estresse ao extremo pode fazer com que uma mãe acabe perdendo o bebê, mas é preciso que se trate de uma coisa muito séria. A maior parte dos abortos espontâneos não tem causa conhecida ou ocorre por um fator além da possibilidade de controle. Acredita-se que de 50% a 70% das perdas que acontecem no primeiro trimestre sejam devido a anormalidades cromossômicas no óvulo fertilizado, ou seja, ele não teria mesmo possibilidade de se desenvolver normalmente. Mas isso não quer dizer que momentos extremamente estressantes, como no caso de um divórcio muito feio, uma morte na família ou graves dificuldades financeiras, não possam afetar a saúde do bebê durante a gravidez. De acordo com um grande estudo dinamarquês de 2008, feito com mais de 19 mil gestantes, mulheres grávidas com alto nível de estresse psicológico apresentaram um risco 80% maior de dar à luz natimortos, comparadas às com nível intermediário de estresse. Diversas outras pesquisas indicam ainda que estresse excessivo durante a gravidez pode levar a partos prematuros, baixo peso do bebê ao nascer e até asma e alergias no futuro da criança. Fonte: Baby Center Adaptado/PubMed.Com Seria "perfeito" se toda mulher conseguisse ficar livre de problemas e aborrecimentos durante sua gestação! Mas, A VIDA NÃO é perfeita, e, já que vivemos em um mundo real, imperfeito e cheio de situações adversas, LEIA EM MEU POST DE SEGUNDA - 21/09/2015 (pela manhã), dicas práticas de como lidar melhor com as situações de estresse durante a gestação! Estamos Juntas, promovendo a saúde de nossos filhos! Com amor, Andreia Friques    

Sempre digo aos casais "grávidos" em minha palestras e no meu consultório: conversem entre vocês, ainda na gestação, sobre QUAL A EDUCAÇÃO ALIMENTAR pretendem dar ao seu filho!
Muitos casais, após o nascimento da criança, acabam "deixando rolar" a rotina alimentar da casa... Sabe aquelas decisões que a gente tem consciência que precisa tomar mas acaba postergando, deixando para outro dia... Amanhã... Depois a gente pensa nisso... Ele ainda é bebê... Depois... Enquanto o bebê é pequeno, é mais fácil mantê-lo em uma alimentação saudável! Até porque, a comida dele é preparada separadamente, caprichada, etc...
Mas lá por volta de 1 aninho, quando a criança deve se alimentar da comida da família, aí.... Aí complica... E quando os pais não tomam a decisão de mudar o padrão alimentar da FAMÍLIA para que TODOS tenham uma rotina alimentar saudável, geralmente, é a partir daí que os maus hábitos começam se instalar na vida dos pequenos! Aos poucos, o que era para ser uma exceção, acaba virando regra e o resultado a médio e longo prazo, geralmente é DESASTROSO!
O bebê não nasce amando algo que ele ainda não experimentou, nem vai ao supermercado escolher as compras do mês! Ele DEPENDE exclusivamente das ESCOLHAS DOS ADULTOS! Eu realmente acredito que NÓS PODEMOS CRIAR FILHOS SAUDÁVEIS!
Com amor,
AndreiaFriques

  Fazer a tarefa de casa, estudar para a prova... Ir à reunião da escola, ao médico... Comprar presente para a festinha de aniversário do colega, levar ao cinema, buscar na casa de uma amigo... Sim... Dá trabalho! Mas mesmo com a vida corrida que todos nós temos, simplesmente "nos viramos", damos um jeito, e fazemos o que tem que ser feito! O que acontece é que como temos que nos dividir em mil para "dar conta de tudo", corremos no supermercado ou padaria mais próxima e entupimos o carrinho de biscoitinhos, snacks, macarrão instantâneo, caldos e temperos artificiais, salsichas, linguiças, presunto, comida e sucos de caixinha, nuggets, pipoca de microondas sabor "tal", bolinhos industrializados, queijinhos "petit suisse", balinhas, etc, na ILUSÃO de que esses produtinhos "práticos" nos darão MENOS TRABALHO!                                                            . Gente, escrevo esse ALERTA, com amor e preocupação: O mundo está vivendo uma epidemia de "Doenças Nutricionais" que têm origem, são antecipadas ou agravadas por um estilo de vida alimentar desregrado, desequilibrado e baseado em PRODUTOS ALIMENTÍCIOS PRÁTICOS ao invés de ALIMENTOS DE VERDADE! Se esse estilo de vida está acabando com a saúde dos adultos, imagine o que não tem feito com a GERAÇÃO DE CRIANÇAS que têm "usufruído" diariamente dessa "praticidade" desde a "barriga da mamãe"?Você ganhou ou ganhará um filho? Bem vindo ao mundo que DÁ TRABALHO sim! Acredite, seja para promover a saúde ou CUIDAR DA DOENÇA, inevitavelmente, teremos trabalho! Vale a pena cada minuto investido no cuidado à saúde de nosso maior tesouro, nossos filhos!   Imagem-41

A alimentação complementar é um período de extrema importância na vida dos bebês, pois é quando eles vão começar a desenvolver seu paladar. Geralmente, começamos a oferecer papinha ao bebê a partir dos 6 meses, para os que mamam no peito, podendo ser um pouco antes para os alimentados por *fórmulas (cada caso deve ser avaliado individualmente*). Nessa fase, é importante que o bebê conheça os alimentos da maneira mais natural possível. Por isso, cozinhe os ingredientes sem adicionar sal. Claro que cada caso é um caso e deve ser sempre avaliado individualmente pelo nutricionista ou pediatra das criança, mas como recomendação geral iniciamos a alimentação complementar com uso de uma frutinha de manhã, alguns dias depois, uma frutinha a tarde (esse processo pode acontecer de várias maneiras diferentes) e finalmente a papinha salgada (atualmente usamos o termo papinha principal). Não recomendamos o uso de suquinhos (nem o de laranja lima), para bebês menores de 1 ano, entre outros motivos, porque eles têm alto índice glicêmico (aumentam rapidamente a glicose no sangue), alta densidade calórica, dificultam a aceitação da água, diminuem o interesse pela mastigação, etc. Mesmo para os maiores, adotamos como primeira escolha a fruta e água, além, é claro, do leite materno para os amamentados. A consistência é outro fator fundamental para preparar a papinha do seu bebê. Não deve-se bater no liquidificador ou peneirar os alimentos, pois isso irá dificultar com que a criança se acostume com a textura e pode tornar o processo de evolução da alimentação complementar mais difícil. O ideal é que, no inicio, se amasse muito bem todos os alimentos com o garfo e vá evoluindo a  textura com o tempo até chegar a dos alimentos em que a família come normalmente. Para os que mamam no peito, o objetivo é que aos 10 meses, a criança esteja apta a se alimentar com a comida habitual da família (Saudável, é claro)! Para os alimentados com fórmulas, isso pode acontecer um pouco antes, de acordo com o desenvolvimento e amadurecimento da criança, por isso, temos que gradativamente, evoluir tanto na consistência, quanto no sabor da comidinha dele. Para facilitar a adesão do seu filho a novos alimentos, é importante que ele tenha contato com o que está comendo, por isso não se desespere caso ele toque o alimento com as mãos ou algo assim, isso é muito importante nessa fase (claro que sempre com a sua supervisão). E quanto ao sal da papinha salgada? A partir de quando posso adicionar sal? A recomendação é que só por volta do nono mês de vida, acrescente pequenas pitadinhas de Sal Marinho ou Sal Rosa do Himalaia ou Sal grosso com ervas (são os q eu geralmente indico). Você vai encontrar algumas dicas de como montar e preparar as papinhas no post "Papinha é coisa séria" já publicado aqui no blog. O link é este abaixo http://www.andreiafriques.com/papinha-e-coisa-seria/   Beijos a todas! Até a próxima ♥
Fique bem informada!
Assine nossa lista gratuita

A gente se encontra por aqui e pela vida, sempre!

Newsletter

Informe seu email para receber informações gratuitamente.